Entrar

Meio Ambiente

Coisas Sobre Barragens que Donos de Hidrelétricas Não Contam

Coisas Sobre Barragens que Donos de Hidrelétricas Não Contam Foto: Fabio Ueda
Avaliar este ítem
(8 votos)

Este artigo tem o propósito de explicar como as barragens bloqueiam e mudam os rios, mostrar como identificar uma barragem mal-executada. Muitos rios têm diversas barragens, exponencialmente adicionando stress ao rio. Múltiplas barragens intensificam os impactos, algumas vezes com sérias consequências, como falha na reprodução de espécies de peixes. Nenhuma barragem pode eliminar todo seu impacto; um rio represado nunca vai funcionar da mesma forma que um rio fluindo livre. Barragens têm efeitos que nenhuma mudança operacional ou nova construção pode corrigir, e se estes efeitos são grandes demais ou caros o suficiente, a barragem deve ser removida.

Rio Natural

Áreas Ribeirinhas

Em um sistema de rio fluindo livre, as áreas perto da água são chamadas áreas “ribeirinhas”. Frequentemente estas áreas são extremamente produtivas e biologicamente diversas devido à presença da água. As matas ciliares são fonte de sombra, refúgio e abrigo para a vida selvagem. Campos banhados ajudam a filtrar a água e retardar o rio, enquanto bancos de areia fornecem um declive suave até avançar para dentro do rio. Todas essas áreas agem como um amortecedor para a poluição de fora.

Passagem de Peixes

Em um rio fluindo livre, espécies animais podem navegar rio acima e rio abaixo, mesmo quando algumas vezes o rio está bloqueado por eventos naturais como árvores presas. Peixes como o salmão e as enguias navegam grandes distancias durante suas vidas, viajando entre rios de água fresca e mares de água salgada. Mesmo peixes que vivem permanentemente no rio se movimentam, encontrando refúgios de água fria durante dias quentes ou buscando comida em grandes profundidades. Como esses lugares variam, os peixes usam extensas áreas do rio como habitat, sendo que longas áreas do rio podem conter populações interconectadas. Alguns moluscos de água doce aderem aos peixes e movem-se pelo rio para encontrar novo habitat, contribuindo para a diversidade de todo o ecossistema e da grande cadeia alimentar.

Recreação

Um rio natural suporta diversos tipos de recreação sem impacto. Tendo um bom poço para nadar, abundância de peixes, ou corredeiras divertidas, o valor principal de um rio é sua natureza selvagem. Para muitos canoístas, pescadores e banhistas, a experiência recreativa é aprimorada pelo sentido de estar em contato com a natureza, longe das multidões e do concreto.

Transporte de Sedimentos e Detritos

Há mais que peixes em um rio. Pense em pedras, pequenas pedras rolando e grandes pedras. Imagine árvores caídas depois de uma grande tempestade, ou bancos de areia que se inclinam para dentro do rio em praias rasas. Seixos, galhos e areia movem-se rio abaixo sob a força da água corrente e acomodam-se para formar caminhos e habitat diversos. Árvores caídas fornecem sombra e água calma. Cascalheiras submersas fazem uma casa para insetos e criaturas que formam a base da cadeia alimentar, ou servem como local de desova para peixes migratórios como a piracanjuba.

Fluxo Natural do Rio

O recurso essencial de um rio é água em movimento. A água segue um princípio muito simples: ela cai no primeiro caminho que pode. Este simples principio torna o rio complicado e dinâmico. O volume da vazão dos rios pode variar largamente de corrente para corrente, de temporada para temporada, e a sua variabilidade é uma parte indispensável de como o ecossistema do rio trabalha. Por exemplo, enchentes enriquecem o solo nas margens dos rios, empurram para fora sedimentos que se acumularam nos canais, e carregam o sistema com água de alta qualidade. Os ciclos de vida de muitas espécies do rio evoluíram para combinar com o tempo das enchentes e das secas, e então eventos sazonais como a temporada das cheias desencadeiam novas fases na vida dessas espécies.

Hidrelétrica Mal Executada

Áreas Ribeirinhas

Assim como as barragens de hidrelétricas geram energia, elas alternadamente liberam e retêm a água de maneira não natural, pulsante. Estas liberações da vazão têm um efeito dramático nas terras rio acima e rio abaixo. As margens originais estão embaixo d’água num rio represado, então as terras de áreas ribeirinhas agora são funcionalmente as margens do rio. Rio acima, as margens são devastadas na medida em que o reservatório esvazia e enche, causando o que parece anéis em uma banheira. Rio abaixo, mudanças artificiais no fluxo do rio podem erodir as margens ou resultar no crescimento de arbustos e árvores no leito do rio. Erosão rio abaixo ocorre muito mais rápido que em um sistema de rio natural porque materiais estruturais como madeira e sedimentos são presos atrás da barragem.

Má Qualidade da Água

Duas das violações mais comuns da qualidade da água pelas barragens de hidrelétricas são a temperatura da água e o oxigênio dissolvido. O oxigênio dissolvido ajuda os peixes a respirar. Mas quando materiais orgânicos que se acumularam atrás da barragem começam a decompor, eles consomem o limitado oxigênio. Os níveis mais baixos dos reservatórios tornam-se zonas mortas, faltando oxigênio suficiente para manter a vida do rio. No verão, as temperaturas podem ser artificialmente geladas no fundo dos reservatórios e quentes demais na superfície. No inverno, águas profundas podem ser artificialmente quentes. Então as barragens liberam água privada de oxigênio com temperaturas não naturais rio abaixo. Também, se a barragem libera muito pouca água, o rio reduzido, é facilmente aquecido demasiado pelo sol.

Recreação

Barragens para geração de energia são diferentes de outras barragens; elas são desenhadas primeiramente para produção de energia. Barragens que fornecem energia durante altas demandas de energia irão oscilar os níveis de seus reservatórios e da vazão de água rio abaixo, causando condições inseguras que muitas vezes exigem que os proprietários das barragens anunciem enchentes soando alarmes. Um rio barrado elimina a experiência de recreação natural e oferece nova recreação artificial. Recreação em água parada pode existir no reservatório, facilitando atividades como embarcações motorizadas. Ao mesmo tempo, barragens de hidrelétricas são construídas normalmente nas partes do rio com maior desnível, então elas tipicamente secam ou alagam as corredeiras. Acesso ao rio é frequentemente reduzido, e o rio fragilizado suporta poucas populações sustentáveis de peixes selvagens.

Nenhum transporte de sedimentos e detritos

Conforme a água move-se rio abaixo, pedras, madeira, areia, e outros materiais naturais viajam com ela. Em um rio represado materiais são bloqueados. Assim que o rio encontra o reservatório, ele diminui a velocidade, perdendo sua força para empurrar. Detritos e sedimentos caem no reservatório e o preenchem com o tempo. Barragens em rios arenosos terão expectativa de vida curta antes que seus reservatórios estejam cheios de sedimentos em vez de água, as vezes chamado de "assoreamento". Materiais adicionais de erosões nas margens acumulam-se dentro do reservatório. Abaixo da barragem, o rio está carente de seus materiais estruturais e não pode fornecer habitat. A água leva embora os sedimentos, deixando um leito erodido abaixo da barragem.

Passagem de peixes

Uma barragem quebra o rio em dois. Toda a vida do rio é dividida entre populações acima e abaixo da barragem, não mais se misturando através do rio inteiro. A maioria das barragens não simplismente desenha uma linha na água; elas eliminam habitat em seus reservatórios e no rio abaixo. Para peixes migratórios como a piracanjuba e o suruvi, barragens bloqueiam o caminho pra casa. Eles lutam rio acima para desovar mas ao invés, acertam o concreto - eles não podem alcançar sua corrente nativa. Peixes residentes (não-migratórios) são fragmentados em grupos isolados, reduzindo a diversidade genética e o alcance. Isto leva à endogamia insalubre e quedas na população. Mesmo aqueles peixes que conseguem descer o rio são obrigados a passar por arriscados caminhos como as turbinas ou sobre as barragens na água extravasada. Depois que passaram, nunca mais poderão voltar para o seu meio ambiente rio acima.

Fluxo Artificial do Rio

Barragens de hidrelétricas manipulam o rio natural para gerar energia. Algumas barragens geram energia sob operações de “pico”. Isto significa que as barragens ligam o rio quando nós ligamos nossos computadores pela manhã, e então desligam o rio a noite para armazenar água para o próximo dia. Muitas barragens de hidrelétricas têm sistemas de canalização que desviam a água do rio por tubos em vez do leito natural a fim de obter pressão adicional. O resultado é um rio desviado que fica com pouca água ou até seco por quilômetros.

Participe!

As hidrélitricas, principalmente as PCHs estão tomando nossos rios com o falso argumento de que têm baixo impacto ambiental. Porém em Santa Catarina, por exemplo, elas já barraram mais de 60% dos nossos rios. Nossa missão é conscientizar a população dos efeitos causados por esse tipo de empreendimento. Participe conosco, entre nesta discussão, deixe seu comentário e compartilhe este artigo com seus amigos.

Última modificação em Quinta, 04 Junho 2015 18:33